50 curiosidades sobre o México

O que vem à sua cabeça quando você pensa no México? Antes de visitar o país no mês passado, eu pensava em civilização maia, caveirinhas coloridas, Frida Kahlo e Diego Rivera e guacamole. Com certeza, o México é um pouco de tudo isso; mas, também é muito mais.

Fato é que depois de conhecer a Cidade do México e seus arredores e de fazer uma road trip pela península de Yucatán, minha cabeça quase explodiu. O México é uma loucura, é diferente de um jeito que eu não esperava. E, confesso que se alguém me perguntasse, durante o período em que eu estava lá, se eu estava gostando ou se voltaria, a resposta, provavelmente e apesar de tudo, seria não. Mas, cá estou, me divertindo enquanto  lembro da viagem e de cada detalhe do país – e já planejando uma próxima para ver o que ficou faltando (pelo menos uma parte); afinal, é difícil explorar um território de quase 2 milhões de km², que vai do Pacífico ao Atlântico, em 20 dias.

Afim de desmistificar o país, mesmo que só um pouquinho, e, quem sabe, ajudar aqueles que estão indo pela primeira vez, separei 50 pontos que chamaram (e muito) a minha atenção no México. Enjoy! 😉

1. O território que hoje conhecemos como México foi lar de civilizações extremamente importantes, como os olmecas, toltecas, theotihuacanos, zapotecas, astecas e maias.

2. Hoje, o México é um dos países mais populosos do mundo.

3. A Cidade do México foi fundada sobre a capital do império asteca: Tenochtitlán.

4. Apesar de ter sido destruída durante a conquista espanhola, é possível ver uma pequena parte do que foi a capital asteca na zona arqueológica conhecida como Templo Mayor, no Zócalo da Cidade do México.

5. A Cidade do México não só foi construída sobre Tenochtitlán como também sobre um lago, o Lago Texcoco, este, por sua vez, foi aterrado pelos espanhóis.

6. Por essa razão, a cidade afunda alguns bons centímetros todos os anos, segundo especialistas.

7. É possível notar que há certo desnível em algumas ruas e construções da cidade, especialmente nos arredores do Zócalo, como a Catedral Metropolitana e o Templo Mayor.

8. Zócalo. Você vai ouvir muito essa palavra, que se refere à praça central e principal das cidades mexicanas. Todas têm um Zócalo.

9. A Cidade do México também é conhecida como CDMX ou apenas México.

10. Aliás, o famoso trânsito da capital é MUITO real. 🚦

11. Inclusive, o que mais me deu medo na CDMX foi atravessar a rua!

12. Você vai se cansar de ver tantos carros com o pisca de alerta ligado e não vai entender nada.

13. Os mexicanos dirigem de um jeito mutcho louco, não só na Cidade do México. Inclusive, durante a viagem, encontrei este texto sobre o trânsito e me parece que, de 2011 para 2020, não mudou nada.

14. Apesar disso, vale muito a pena alugar um carro fora da Cidade do México, assim você tem mais liberdade para conhecer pequenos pueblos e explorar as regiões além da capital.

15. Mesmo com quase 10 milhões de habitantes, a CDMX me pareceu limpa, quase não vi lixo jogado ou acumulado nas ruas.

16. Além disso, as ruas são bem asfaltadas e não possuem muitos buracos, bem diferente de São Paulo.

17. Fique esperto e dobre a atenção para ninguém passar a perna em você em lugares como postos de gasolina (confira se o marcador está zerado), pedágios (passe devagar, cheque o valor do trecho que você vai usar e peça o recibo), estacionamentos (confira sempre o horários de entrada e saída) ou lojinhas.

18. Vá ao Acuario Inbursa! O aquário da Cidade do México é o maior do país e um dos mais educativos que já fui – o ingresso dá direito ao aquário e ao aquário interativo, onde você aprende, na prática, as consequências de cada ação e o papel de cada espécie. 🐠

19. O Museo Nacional de Antropología é um dos mais ricos em civilizações pré-hispânicas e evolução humana. Por isso, é parada obrigatória, especialmente se você pretende visitar sítios arqueológicos e cidades coloniais durante sua visita ao México. Inclusive, é lá que está a famosa Piedra del Sol, também conhecida como calendário asteca.

20. Esqueça as sacolinhas plásticas. Ok, na região de Cancun e Playa del Carmen você ainda as encontra, mas, no México em geral, o forte são as reutilizáveis – vale levar as suas ecobags para a viagem e usá-las no mercados e nas lojas. Os estabelecimentos costumam vender as sacolas reutilizáveis por 10 ou 20 pesos.

21. Use e abuse do Airbnb durante a sua viagem, vale muito a pena!

22. O México tem duas das maiores pirâmides do mundo: a de Tepanapa, em Cholula, é a maior e a do Sol, em Teotihuacán, é a terceira maior. Entre elas, está a pirâmide de Queóps, no Egito.

23. Faça o passeio de balão em Teotihuacán! Garanto que será uma das melhores experiências da sua vida.

24. Esqueça tudo o que você acha que sabe sobre a comida mexicana.

25. Não subestime a pimenta! 🌶

26. Coma alguns tacos de rua. São os melhores!

27. Diferentemente do que eu esperava, não encontrei muitos burritos ou guacamole no México.

28. Prove a Flor de Jamaica, que nada mais é do que um delicioso e refrescante chá de hibisco. 🌺

29. No México, não há o famoso “cafezinho” pós refeição como no Brasil.

30. Não deixe de provar a Cochinita Pibil, um prato típico de Yucatán com carne de porco cozinhada no forno.

31. O chocolate em pó mexicano tem um gostinho bem diferente do que encontramos no Brasil. Vale provar!

32. Por lá, eles consomem muita manga! Suco de manga, picolé de manhã e manga picada na rua (com opcional de pimenta moída por cima). 🥭

33. Visite uma loja de tequila e ouça a explicação sobre como este famoso destilado é produzido.

34. Saia o máximo que você puder da rota turística e evite as excursões durante a sua viagem. 🗺️

35. Lembre-se: há sítios arqueológicos tão lindos e importantes quanto Chichen-Itzá!

36. A famosa pirâmide de Chichen-Itzá é, na verdade, um templo dedicado ao deus Chac e seu nome é Templo de Kukulkán.

37. Assista ao show noturno Noches de Kulkukán em Chichén-Itzá! Digno de um parque do Walt Disney World, o espetáculo de luzes, projetadas na pirâmide de Kukulkán, conta um pouquinho sobre a civilização maia e sobre a cidade.

38. Vale muito a pena reservar uma grana para contratar um guia local oficial para visitar os sítios arqueológicos. Os preços costumam ser fixos, variando de acordo com o idioma e número de pessoas; a duração costuma ser de 1h30.

39. Encante-se com a obsidiana e sua importância histórica para os maias.

40. O México é realmente um país colorido e cheio de artesanatos lindos.

41. Mas, também é cheio de vendedores insistentes que podem fazer você desistir de parar para ver algo caso esteja sem muita paciência.

42. Prepare-se para dizer muitos “no, gracias”.

43. Pechinche. Pechinche muito.

44. No México, é bastante comum pedir e dar gorjeta para tudo, mas o valor fica ao seu critério.

45. Infelizmente, senti um clima muito mercenário em alguns lugares, principalmente nos cenotes da região de Quintana Roo. Em geral, os centos não passam de uma atração e, por isso, fiquei com a sensação de que o pessoal responsável por esses (lindos) locais naturais estava mais preocupado em colocar turista até onde não havia espaço do que educar e passar adiante a real importância da fauna e flora que há por ali – um contraste surreal com a experiência que tive em Bonito há alguns anos, onde o valor que os moradores e guias davam à natureza era tão grande, que você ficava feliz e confiante de poder realizar os passeios mais doidos da forma mais respeitosa possível. Fiquei triste de não ter uma sensação tão boa assim no México.

46. A figura da Frida Kahlo é absurdamente explorada no México. Fico me perguntando o que a artista acharia disso se estivesse viva.

47. Realmente, há caveirinhas coloridas por todas as partes! A “caveira mexicana”, como é popularmente conhecida nos dias de hoje, é inspirada na personagem La Catrina, do artista mexicano José Guadalupe Posada.

48. O México é grande e tem muito para oferecer. Então, a menos que você esteja planejando um ou dois meses por lá, conforme-se que não vai rolar ver tudo em uma única viagem. 😭

49. Antes de viajar, assista a O Caminho Para El Dorado (apesar de misturar as três principais culturas pré-hispânicas, você terá uma noção da grandiosidade dessas civilizações antigas), Festa no Céu e Viva – A Vida É Uma Festa.

50. Para conhecer de forma “resumida” a história do México, recomendo ver o mural Sueño De Una Tarde Dominical en la Alameda Central (1947) de Diego Rivera, hoje no Museo Mural Diego Rivera. Na obra, ele representou personalidades e períodos históricos importantes para o desenvolvimento do país como o conhecemos, desde a chegada de Cortés até a Revolução Mexicana.

Capa:

Sueño De Una Tarde Dominical en la Alameda Central (1947) de Diego Rivera no Museo Mural Diego Rivera, na Cidade do México

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s