Há 500 anos era concluída a primeira volta ao mundo da história!

Há 500, no dia 6 de setembro de 1522, a nau Victoria chegava ao porto de Sanlúcar de Barrameda, na província de Cádis, Espanha. E assim a primeira circum-navegação conhecida terminava. 🗺️⚓

De acordo com a historiadora Heloisa Meireles Gesteira no livro Magalhães-Elcano: a primeira viagem ao redor do mundo, 1519-1522, da editora Andrea Jakobsson, a expedição liderada e idealizada pelo português Fernão de Magalhães era formada por, aproximadamente, 240 homens e composta pelas naus Victoria, Trinidad, San Antonio, Concepción e San Tiago.

Sim. Magalhães era português, mas viajou em nome de Carlos I, da Espanha, por, dentre outros motivos, falta de apoio do rei Dom Manuel, de Portugal.

O objetivo da viagem era descobrir uma passagem marítima para o Mar do Sul, atual Oceano Pacífico, e para as especiarias do Oriente, mais especificamente as ilhas Molucas. Naquela época, a rota para as Índias, pelo Cabo da Boa Esperança, era dominada por Portugal, daí a vontade da coroa espanhola de driblar os portugueses com uma alternativa que contornasse o Novo Mundo.

Depois de zarpar do porto de Sanlúcar, em 10 de agosto de 1519, a esquadra comandada por Magalhães mergulhou em um mar de perrengues rumo ao desconhecido, principalmente após cruzar o atual Estreito de Magalhães, na Patagônia argentina. Dos 240 homens que deixaram o porto espanhol, apenas 18 retornaram.

O próprio Magalhães morreu, em abril de 1521, nas Filipinas. Foi Juan Sebastián Elcano quem concluiu a viagem e insistiu em seguir “em frente”, pela rota (e território) de Portugal, em vez de voltar pelo caminho que haviam percorrido.

Inclusive, em 2019, o jornal português Expresso reproduziu a rota da viagem de Magalhães-Elcano através de um formato multimídia e imersivo bastante interessante! 🙂

Bom, fato é que a nau Victoria retornou ao porto de Sanlúcar de Barrameda em um sábado, 6 de setembro de 1522, e consagrou-se como o primeiro navio conhecido a dar uma volta completa ao mundo – ah! a carga de especiarias que a nau carregava cobriu todos os gastos da viagem de três anos.

E graças ao cronista italiano Antonio Pigafetta, que pagou para participar da viagem e literalmente sobreviveu para contar história, a expedição de Magalhães-Elcano foi registrada. Nas páginas finais do diário de viagem, Pigafetta escreveu:

6 DE SETEMBRO 1522 – Chegamos com dezoito homens a Sanlúcar – Graças à providência, entramos no sábado, 6 de setembro, na baía de Sanlúcar, e de sessenta homens que compunham a tripulação quando saímos das Ilhas Molucas, não restávamos mais que dezoito, a maior parte doente. Os demais, uns escaparam na Ilha de Timor, outros foram condenados à morte por crimes que cometeram e outros, enfim, morreram de fome.
Longitude da viagem – Desde nossa saída da baía de Sanlúcar até o regresso, calculamos que percorremos mais de 14.460 léguas, dando a volta completa ao mundo, navegando sempre do Leste para o Oeste.

– Antonio Pigafetta

Elcano y Magallanes

Recentemente, a empreitada recebeu uma animação que está disponível no Disney+! O filme espanhol Elcano e Magalhães: a primeira volta ao mundo entrou na plataforma em 2022 e, como o próprio nome diz, conta a história da primeira volta ao mundo em um formato adaptado para as crianças. 😉

Capa:

Mapa mundi com a circum-navegação de Magalhães ilustrado por Heinrich Scherer (1628-1704) no Atlas novus, 1702-1703. (Via Fine Art Images/Heritage Images/Getty Images)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s