A livraria Lello & Irmão no Porto

Considerada uma das livrarias mais belas do mundo por veículos como a CNN, The Guardian e Lonely Planet, há boatos de que a Lello & Irmão, na cidade do Porto, em Portugal, teria servido de inspiração para a escritora J.K Rowling criar alguns dos cenários mais icônicos da saga Harry Potter! Mas sobre isso falarei mais para frente. 😉

A história da Lello começa no final do século XIX, quando, em meados de 1881, os irmãos José e António Lello criam a sociedade José Pinto de Sousa Lello & Irmão. Os irmãos foram pioneiros ao promover um espaço dedicado à literatura já que, naquela época, a cena literária estava diretamente ligada aos círculos de intelectuais e artistas da sociedade.

Entretanto, a livraria Lello como a conhecemos hoje, na rua das Carmelitas e com o emblemático estilo neogótico, foi inaugurada apenas em janeiro de 1906.

Classificada como um Monumento de Interesse Público, a livraria é responsável por atrair diversos visitantes para a cidade do Porto – alguns a consideram visita obrigatória! Somente em 2016, um milhão de visitantes, do mundo todo, passou pela Lello, de acordo com o jornal português Público.

Berço de preciosidades, vale falar que a Lello guarda uma diversidade impressionante de obras antigas em suas prateleiras. Por lá, é possível encontrar livros que datam da fundação da loja, ou até mesmo de antes, além de volumes raros e primeiras edições.

Vale a pena?

Sem dúvida, o lugar deixa qualquer um de queixo caído antes mesmo de entrar. Na fachada de estilo neogótico, as figuras alongadas junto à imponente janela de vitral chamam a atenção de qualquer um que passa pela rua. Mas, acredite, elas não estão ali à toa: enquanto a da esquerda, segurando uma escultura, simboliza a Arte, a da direita, que carrega um ídolo ligado à antropologia, representa a Ciência.

Ao entrar na Lello, o visitante fica de cara com uma magnífica escadaria carmim. Digna de um conto de fadas, os lances de escada, cercados de madeira esculpida, com certeza são capazes de abrir a imaginação até do visitante mais monótono.

Mas a cereja do bolo ainda está por vir. Logo acima das cabeças dos frequentadores da Lello, um lindo vitral, de 8 metros de comprimento e 3,5 metros de largura, rouba a cena e impressiona com sua imponência – ao observar o desenho do vitral, você pode notar o monograma dos irmãos que dão nome à livraria, bem como sua insígnia, Decus in Labore (dignidade no trabalho, em latim).

O ambiente é simplesmente lindo e encantador, além de ser bastante aconchegante. Vale pontuar que, dentre os muitos detalhes da Lello, estão os entalhes de madeira no interior do prédio.

Pelo espaço, é possível encontrar ainda bustos de importantes escritores portugueses, como Eça de Queirós, Camilo Castelo Branco e Antero de Quental, além do escritor Miguel de Cervantes e também dos fundadores da livraria, os irmãos Lello.

Já na parte superior, o visitante pode tentar sentar em uma das poltronas para folhear os livros que a Lello oferece antes de fechar a compra no caixa – quando estive na Lello, em setembro de 2015, não pude deixar de sair de lá com uma cópia de Harry Potter & a Pedra Filosofal.

Desde 2016 a Lello & Irmão passa por obras de restauro e conservação a fim de manter o estilo original da construção e também de melhorar a experiência do visitante.

Durante o primeiro ano de restauro, a Lello teve sua fachada reparada, o que devolveu à frente da loja suas cores originais. Nos meses seguintes, ocorreu a recuperação completa das madeiras e estuques, a reformulação da instalação elétrica e da iluminação e a instalação de um novo sistema AVAC (aquecimento, ventilação e ar condicionado) – durante a minha visita, em pleno verão/ outono, o calor foi um problema uma vez que o ar quente somado à grande quantidade de visitantes fez com que o lugar parecesse uma estufa.

A livraria inspirou a saga do bruxinho?

Um dos motivos pelos quais a Lello é extremamente cheia (e ter taxa de entrada) é o fato da livraria supostamente ter inspirado a autora J.K.Rowling a criar alguns dos cenários presentes nos livros da saga Harry Potter – a escadaria que leva à sala do diretor Alvo Dumbledore, em Hogwarts, e a livraria Floreios & Borrões, no Beco Diagonal, são os exemplos mais famosos.

Aliás, não se surpreenda caso alguém se refira à Lello como “a livraria do Harry Potter” – inclusive, confesso que a minha própria visita foi muito motivada pelos livros e filmes que eu tanto gosto.

No entanto, como apontado pela revista Viagem e Turismo, em junho de 2020, essa história realmente não passa de boatos.

Em 21 de maio de 2020, a própria J.K.Rowling revelou em sua conta no Twitter que nunca se inspirou na livraria Lello para escrever suas histórias. Apesar de ter vivido na cidade portuguesa no início dos anos 1990 e ter começado a elaborar o que viria a ser uma das narrativas mais famosas de todos os tempos enquanto esteve em Portugal, Rowling declarou nunca ter entrado na livraria.

Tudo começou quando ela publicou um tweet dizendo que “estava pensando em colocar no meu site uma seção sobre todas as supostas inspirações de Potter”. Em seguida, ela falou sobre o The Elephant House, em Edimburgo, e afirmou que chegou a escrever uma coisa ou outra no café escocês, mas não começou a escrever Harry Potter na cafeteria.

Depois, Rowling finalmente citou a Lello: “Eu nunca visitei essa livraria no Porto. Eu nem sabia de sua existência! Ela é linda e eu gostaria de tê-la visitado, mas não tem nenhuma relação com Hogwarts!”.

Diante das revelações da autora, que já acumula mais de 7 mil curtidas e 3 mil compartilhamentos, algumas pessoas ficaram decepcionadas, o que levou J.K a fazer mais algumas confissões sobre a cidade portuguesa.

“Se isso animar quem se decepcionou com a livraria do Porto, eu escrevi aqui algumas vezes. Provavelmente esse foi o café mais bonito onde já escrevi. The Majestic Cafe, na rua Santa Catarina”, ela escreveu no Twitter.

Serviço

Para entrar na Lello é necessário pagar uma taxa. O voucher pode ser adquirido online, ou em um quiosque próximo à livraria – caso você adquira um livro durante sua visita, o valor do ticket de entrada é descontado da compra.

Ah! Detalhe importante: é permitido fazer fotografias dentro da Lello desde que suas fotos não atrapalhem a circulação de clientes e outros visitantes. Além disso, é necessário falar baixo dentro da livraria para manter o clima calmo no ambiente; afinal, estamos falando de uma livraria, não é mesmo?

Livraria Lello

Rua das Carmelitas, 144, 4050-161, Centro Histórico da cidade do Porto.

Horário de funcionamento: todos os dias, das 9h30 às 19h.

Instagram

Facebook

Twitter

Capa:

Via

Este texto foi originalmente escrito e publicado em 30 de agosto de 2017 e atualizado em 13 de janeiro de 2022 às 10h52.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s