Animais Fantásticos e Onde Habitam: magia e nostalgia

*Este texto contém spoilers

Depois de cinco anos de espera, finalmente um spin-off de Harry Potter foi lançado. Como alguém que adora, e muito, o universo criado por J.K. Rowling, arrisco dizer que Animais Fantásticos e Onde Habitam é o filme mais mágico dentro do chamado Wizarding World, pois contém tudo o que um fã sempre quis: é bonito, o enredo é leve e junta muito bem narrativas paralelas, é um filme rico em detalhes e em easter eggs e, principalmente, trás novidades, como novos personagens, criaturas mágicas e a comunidade de bruxos dos Estados Unidos.

Animais Fantásticos e Onde Habitam marca a estreia de J.K.Rowling como roteirista e trás de volta ao mundo mágico o diretor David Yates, responsável pelos quatro últimos filmes da franquia Harry Potter (A Ordem da Fênix, O Enigma do Príncipe e As Relíquias da Morte parte 1 e 2). O elenco é composto por nomes de peso, como o vencedor do Oscar Eddie Redmayne (Os Miseráveis, A Teoria de Tudo e A Garota Dinamarquesa), Ezra Miller (Precisamos Falar Sobre Kevin e As Vantagens de Ser Invisível), Colin Farrel (Alexandre, O Vingador do Futuro e Presságios de um Crime), Samantha Morton (Minority Report – a nova lei e Elizabeth: a era de ouro) e Katherine Waterston (Steve Jobs).

animais-fantasticos-e-onde-habitam-gif

A história se passa em 1926 quando o magizoologista inglês Newt Scamander chega à Nova Iorque acompanhado de sua valiosa maleta, onde carrega as criaturas mágicas que resgata e estuda. Porém, alguns animais escapam e para recuperá-los Newt conta com a ajuda do non-maj (como não bruxos ou trouxas são chamados nos Estados Unidos) Jacob Kowalski. Coincidentemente, a cidade passa por uma misteriosa onda de eventos que alertam a MACUSA (Congresso Mágico dos Estados Unidos da América) e ameaçam expor a comunidade bruxa.

As atuações são impecáveis e se encaixam perfeitamente na trama. Eddie Redmayne é excelente em seu papel como o desajeitado pesquisador Newt Scamander. E já é fato que Dan Fogler rouba a cena ao encarnar o non-maj Kowalski – aliás, seria muito legal se ele voltasse nos próximos filmes. Katherine Waterston e Alison Sudol estão maravilhosas em seus papéis como as irmãs Tina e Queenie Goldstein, respectivamente – ambas as personagens me surpreenderam. E há ainda Ezra Miller, que deixa transparecer de forma espetacular os sentimentos e frustrações de Credence.

Visualmente, o filme é lindo e encantador. Animais Fantásticos e Onde Habitam é um longa colorido e requintado, mas na medida certa. Todos os elementos presentes levam a uma ótima composição dos anos 1920 – especialmente os figurinos.

Na minha opinião, uma das cenas mais incríveis já produzidas dentro do universo mágico está em Animais Fantásticos e Onde Habitam e é quando Newt convida Jacob para entrar na maleta. Meu queixo caiu quando o bruxo apresenta suas criaturas e seu mundo particular. Sem dúvida, durante o primeiro vislumbre que temos do interior da mala, a magia e a emoção saem da tela e é impossível não querer estar no lugar de Kowalski  – a música contribui para esse boom de sensações e chega a emocionar. Além disso, é nesse momento que conhecemos mais da personalidade de Newt e o quanto suas criaturas são importantes para ele.

Vale lembrar que a equipe responsável pelo design gráfico (os detalhes que compõe o ambiente) é a mesma que trabalhou nos oito filmes da saga Harry Potter, portanto não deixam a desejar no quesito grandiosidade de detalhes.

animais-fantasticos-e-onde-habitam-pelucio

A trilha sonora é de James Newton Howard (Uma Linda Mulher, O Sexto Sentido e franquia Jogos Vorazes) e é maravilhosa. O trabalho musical deixa bastante claro que Animais Fantásticos não se trata de Harry Potter, mas faz parte do mesmo universo e, por isso, não peca ao produzir uma sensação de nostalgia em quem já é fã. Você pode ouvir a trilha completa aqui.

Contudo, o melhor de Animais Fantásticos e Onde Habitam é que funciona muito bem tanto para os veteranos de Harry Potter quanto para os novatos. O enredo não deixa ninguém perdido ou sem entender o que está acontecendo. A trama toma um rumo bastante claro e é capaz de situar todos os telespectadores. Com certeza o fato de J.K.Rowling ser a roteirista fez grande diferença ao longo do desenvolvimento da narrativa. Aliás, a história é muito bem entrelaçada e vai muito além do que é proposto pelo trailer.

Outro fator muito agradável é a relação entre os non-majs e bruxos, que é pouco explorada na franquia anterior – em Animais Fantásticos e Onde Habitam o ponto de vista de Kowalski é relevante e parece que ele, de certa forma, está lá representando todos os fãs da saga Harry Potter que esperam até hoje a carta de Hogwarts – lembrando que Jacob Kowalski é o primeiro protagonista trouxa deste universo.

Claro que se você não está habituado com o mundo da magia alguns detalhes e easter eggs passarão despercebidos ou parecerão irrelevantes. Mas, se você é fã do universo mágico provavelmente tremeu ao ouvir o nome Leta Lestrange ou ver Graves entregando o símbolo das Relíquias da Morte para Credence. Sem contar que a narrativa paralela envolvendo Gellert Grindelwald, acende uma chama de ansiedade e já prepara o público para a sequência: Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald.

Assim como acontece nas histórias de Harry Potter, em que J.K.Rowling muitas vezes trabalha questões que envolvem preconceitos e minorias, o novo filme trás à tona a intolerância (ponto muito importante a ser discutido, principalmente nos dias de hoje) por meio dos Segundos Salemianos e seu relacionamento com pessoas da comunidade bruxa.

Animais Fantásticos e Onde Habitam é uma aventura que inaugura uma nova saga (serão cinco filmes), cujos acontecimentos se dão mais ou menos 70 anos antes de Harry Potter e a Pedra Filosofal, de forma espetacular. Vale ressaltar que além de Newt Scamander os filmes vão explorar o famoso bruxo das trevas Gellert Grindelwald e, muito provavelmente, terminarão com a Primeira Guerra Bruxa, marcada pelo confronto entre ele e Alvo Dumbledore em 1945.

Para a alegria de muitos fãs, Animais Fantásticos e Onde Habitam faturou o Oscar de melhor figurino na 89ª edição da premiação (2017), consagrando-se como o primeiro filme do universo Harry Potter a ganhar uma estatueta. O figurino é assinado por Colleen Atwood (Edward  Mãos de TesouraChicago e Caminhos Da Floresta)

Ficha técnica

Animais Fantasticos

Título: Animais Fantásticos e Onde Habitam (Fantastic Beasts and Where to Find Them)

Ano: 2016

Lançamento: 17 de Novembro de 2016

Distribuição: Warner Bros.

Gênero: fantasia, aventura

País: Estados Unidos e Reino Unido

Roteiro: J. K. Rowling

Produção: J. K. Rowling, David Heyman e Steve Kloves

Direção: David Yates

Elenco: Eddie Redmayne, Katherine Waterston, Dan Fogler, Alison Sudol, Ezra Miller, Colin Farrell, Jon Voight, Samantha Morton, Carmen Ejogo, Ron Perlman e Johnny Deep

Classificação: 12 anos

Duração: 2h13

Site oficial em português

Site oficial

Instagram

J.K Rowling

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s