Hong Kong: dicas de viagem

Ex-colônia britânica, Hong Kong voltou a fazer parte da República Popular da China em 1997 e, desde então, é uma das duas regiões administrativas especiais do país, a outra é Macau. HK engloba a Ilha de Lantau, a Ilha de Hong Kong, Kwoloon e os Novos Territórios. A cidade é uma das com maior densidade populacional do mundo, tem cerca de 7 milhões de habitantes e é um dos locais com maior desenvolvimento econômico na Ásia.

Por lá é possível ver uma mistura de tudo: arranha-céus, templos budistas, mercados tradicionais, lojas de marcas e placas de neon. Veja abaixo algumas dicas para facilitar a sua visita à cidade que consegue ser Ocidente e Oriente ao mesmo tempo.

Hong Kong
Templo dos 10.000 Budas
  • Visto

Brasileiros não precisam de visto para visitar Hong Kong

  • Vacina

Desde 2016 não é mais necessário o certificado internacional de vacinação contra a febre amarela.

Mas, é sempre bom ter esse documento. Basta levar sua carteirinha a um posto da ANVISA para emitir o seu. O aeroporto de Guarulhos (Cumbica), SP, emite o certificado. 

  • Fuso

GMT + 8

Em outras palavras: 11h na frente do Brasil

  • Idioma

Os idiomas oficiais são o cantonês (uma variação do mandarim) e o inglês.

Em geral, dá para se virar muito bem com inglês. Mas sempre leve com você um papelzinho com o endereço do hotel escrito em cantonês, pois pode ser que você trombe com pessoas que não falam inglês, como motoristas de táxis ou moradores das áreas mais periféricas.

  • Clima

Em suma, o verão tem temperaturas altas, chuvas fortes e a possibilidade de tufão, enquanto que o inverno apresenta temperaturas mais baixas, não há precipitação e os dias são nublados. O clima de lá é o subtropical úmido, ou seja, as estações são bem definidas na região.

Apesar da cidade poder ser visitada durante qualquer período do ano, ir durante o inverno significa talvez não ter uma vista legal de alguns pontos turísticos, como o The Peak e o Big Buda.

De acordo com o guia DK Top 10 Hong Kong, a melhor época é entre março e abril, mais ou menos durante a primavera.

Visitei a cidade na primeira semana de junho. A temperatura variou de 30ºC a 33ºC, peguei apenas um dia de chuva forte e não presenciei nenhum tufão. Apesar do calor insuportável e dos dias muito abafados, o período na cidade valeu por conta do céu aberto e das lindas vistas. Caso você também visite HK nesse período, tenha em mente que é fundamental se hidratar.

O post Calor ou Frio, do blog Minha Vida em Hong Kong, pode ajudar bastante você a decidir qual época do ano é melhor para você.

  • Como ir?

Não há voos diretos do Brasil para Hong Kong. A opção mais comum e rápida é com a South African Airways, com parada em Johanesburgo.

A United, Cathay Pacific, Qatar Airways, Emirates e Etihad também operam voos para lá.

  • Transporte

Antes de viajar pesquisei muito sobre o transporte por lá. Durante os sete dias da viagem só usamos o metrô! A cidade conta com várias estações e os trens são rápidos, sem contar que são espaçosos, climatizados e limpos. O site oficial, o MTR HK, ajudou demais! Ele disponibiliza o mapa do sistema e calcula a rota de um lugar para o outro. E o melhor de tudo: é muito fácil de usar.

Airport Express: logo que desembarcar no aeroporto, adquira um cartão Airport Express Travel Pass com duas passagens (2 rides). Com ele, você pega um trem que sai do aeroporto e vai até a Central/ Hong Kong Station. Esse trajeto leva, mais ou menos, 25 minutos. Lá, você pode usufruir de um serviço de ônibus gratuito que passa pelos principais hotéis da cidade. Na volta, é só repetir o percurso. Provavelmente, o motorista do ônibus vai deixar você na porta da estação do metrô. Isso porque há o In-town Check-in. Em outras palavras, você despacha as suas malas por lá e não precisa ter o trabalho de entrar com elas no trem para o aeroporto. Devolvendo o Airport Express Travel Pass, você é reembolsado com 50 DHK. Saiba mais aqui.

Hong KongOctopus Card: vale a pena fazer um, pois é possível carrega-lo e usar nas principais linhas de ônibus, nas estações de metrô e até mesmo em alguns transportes marítimos (ferries). O nosso era o Standart Octopus, provavelmente esse modelo é direcionado para todos os turistas. É possível adquirir o cartão em qualquer estação de metrô, nos guichês de tickets – é muito fácil e simples. Para carregar você pode ir nesses mesmos guichês ou nas máquinas das estações. O mais legal é que quando você for embora pode devolver o Octopus e ser reembolsado! Nós conseguimos recuperar 70 DHK de cada cartão, ou seja, 140 DHK. O valor do Octopus foi 50 DHK e o crédito restante era de 20 DHK em cada. Saiba mais aqui.

  • Moeda

Dólar de Hong Kong (DHK)

1 USD = 7,8490 DHK

1 BRL = 2,1041 DHK         

* Valores checados em 6 de agosto de 2018.

  • Preços

Hong Kong é uma cidade cara. Então vá com o bolso preparado. Em relação aos eletrônicos, você encontrará preços baixos em mercados, porém a qualidades dos produtos não é das melhores. Souvenires e tranqueiras você também acha nos mercados, mas para sair com valores bons tem que pechinchar! Caminhar pela Nathan Road é uma boa, pois a avenida é cheia de becos e ruas com essas feiras.

Hong Kong
Apple Store no IFC Mall
  • Alimentação

As comidas em Hong Kong são mais normais do que a maioria das pessoas pensa. É muito fácil encontrar por lá redes de fast food, restaurantes italianos, franceses, ingleses e japoneses. Além, é claro, da culinária típica, que não é tão bizarra assim – não deixe de experimentar os noodles.

  • Internet

Poder estar conectado será o menor dos seus problemas em HK. Há redes WiFi por toda a cidade. E antes de fechar o seu hotel, confira se ele oferece internet de graça, afinal é meio injusto pagar por algo que na rua o acesso é gratuito!

  • Telefone

Código de discagem: +852

  • Aplicativos úteis

MTR Tourist – calcula rotas, disponibiliza telefones e endereços úteis, oferece dicas turísticas e mostra os cartões de transporte que você pode comprar.

MTR Mobile – não é muito diferente do MTR Tourist, mas conta com informações relacionadas aos ônibus, compras e acessibilidade, como pontos de correio, centros de informação e zonas de WiFi.

MyObservatory – esse é muito útil, principalmente se você vai durante o Verão. Isso porque ele avisa sobre a situação climática da região, alertando quando os ventos irão aumentar, se a chuva que está por vir será muito forte e também se há risco de tufão.

Discover Hong Kong – o site é cheio de dicas e informações úteis para os turistas.

Veja também 50 curiosidades sobre Hong Kong.

Atualizado em: 6 de agosto de 2018 às 15h33.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s